Cascavel qualifica as informações de acidentes de trânsito

Com a implementação do Programa Vida no Trânsito no município paranaense de Cascavel, a equipe municipal vem conseguindo qualificar as informações de acidentes de trânsito, com o objetivo de reduzir os índices de lesões e mortes no trânsito no município. Os bons resultados se devem a uma série de iniciativas realizadas ao longo dos últimos anos, conforme vamos ver a seguir.

Como tudo começou No ano de 2010 Cascavel implementou o Projeto Redução da Morbimortalidade por Acidente de Trânsito no município em 2010, recebendo inicialmente apoio do Ministério da Saúde para estruturação de ações de prevenção de acidentes de trânsito. Dentre as ações deste projeto foi instituído o Comitê Intersetorial de Prevenção e Controle de Acidente de Trânsito do Município de Cascavel (COTRANS). O Cotrans conta com a participação de várias instituições da sociedade civil organizada, que tem ligação com o tema Acidente de Trânsito. Entre elas estão as seguintes instituições:

  • Secretaria Municipal de Saúde;

  • 10ª Regional de Saúde, Secretaria Municipal de Educação;

  • Secretária Municipal de Administração;

  • Companhia de Trânsito de Cascavel (CETTRANS);

  • Corpo de Bombeiros/SIATE;

  • Polícia Militar;

  • Polícia Rodoviária Federal;

  • Polícia Rodoviária Estadual;

  • Universidades (UNIOESTE, UNIPAR, FAG e UNIVEL);

  • CONSAMU;

  • Unidades de Saúde (Hospital Universitário, Policlínica, São Lucas e UPA’s);

  • Concessionárias (Ecocataratas e Viapar);

  • SINDETAXI;

  • Conselho de Segurança (CONSEG);

  • Sindicato de Empresas de Seguros;

  • Sindicato das Auto-escolas.


Em 2017 o Município de Cascavel aderiu ao Programa Vida no Trânsito (PVT), tornando-se COTRANS/PVT. E esta adesão possibilitou  melhorar o trabalho intersetorial voltado à prevenção de acidentes de trânsito no município. A metodologia proposta pelo Programa Vida no Trânsito contribuiu com a qualificação das informações, planejamento de ações educativas integradas, realização de seminários, audiências públicas entre outras ações, trazendo assim a problemática dos acidentes de trânsito para discussão com a sociedade.


Fontes de informação utilizadas Com objetivo de identificar o perfil dos acidentes de trânsito e das vítimas o COTRANS/PVT instituiu a Comissão de Análise dos Acidentes, sendo composta por órgãos que atendem os acidentes de trânsito.

  • Corpo de Bombeiros/SIATE: possui um sistema informatizado (SYSBM), com dados de acidentes de trânsito desde 2005, contendo: Dados do Acidente (data, hora, endereço, tipo de acidente, situação no local e procedimentos realizados); Dados da vítima (nome, idade, sexo, principais ferimentos, condições de segurança, hospital de encaminhamento); Dados do veículo (placa, marca, modelo, condutor e principais danos);

  • Polícia Militar e PRE: possuem o sistema de informações (BATEU), com dados de acidentes de trânsito, contendo: Dados do Acidente (data, hora, endereço, tipo de acidente, resultado do acidente e condições da via); Dados do envolvido (nome, idade, sexo, tipo de envolvido, resultado, habilitação, endereço, exame etilométrico e profissão); Dados do veículo (placa, marca, modelo, proprietário, condutor, condições e danos);

  • Polícia Rodoviária Federal: possui sistemas de informações (BAT), com dados de acidentes de trânsito, contendo: Dados do Acidente (data, hora, endereço, tipo de acidente, resultado do acidente e condições da via); Dados do envolvido (nome, idade, sexo, tipo de envolvido, resultado, habilitação, endereço, exame etilométrico e profissão); Dados do veículo (placa, marca, modelo, proprietário, condutor, condições e danos);

  • Secretária Municipal de Saúde e 10ª Regional de Saúde: possui sistema informatizado de informações sobre óbitos (SIM), contendo os dados das vítimas.

Este conjunto de informações vem permitindo que o município realize uma série de análises, as quais vem oportunizando que intervenções mais assertivas sejam planejadas e executadas. Um exemplo do fruto da qualificação de dados por meio da metodologia do Programa Vida no Trânsito é a identificação dos fatores de risco e condutas inapropriadas para a ocorrência de acidentes fatais, conforme pode ser visto no Gráfico 1.

O Gráfico 2 apresenta a conquista do município em termos de redução de vítimas fatais.

No Gráfico 2 é possível identificar uma redução de aproximadamente 50% nas fatalidades, em número absolutos, mesmo com o aumento da população e frota total de veículos. Intervenções mais assertivas

Diante dos dados apurados buscou-se realizar algumas sugestões de ações que estão sendo realizadas e podem ser implementadas para diminuição dos acidentes de trânsito e seus agravos. O Cotrans/PVT já realiza uma série de ações com foco a diminuição dos acidentes estando divididas em três pilares básicos:

Ações educativas para mudança de cultura

Ações realizadas principalmente nos públicos mais afetados (condutores jovens do sexo masculino, motociclistas e pessoas que dirigem após ingestão de bebida alcoólica). Como exemplo de tais ações, temos realizado e podem ser ampliadas, palestras em Colégios Estaduais para os últimos anos do Ensino Médio, palestras nos quartéis do Exército, em empresas e Universidades, cujo público está nesse “grupo de risco”. Também existe a aplicação de um mini-curso, em conjunto com o Ministério Público, com carga horária de 3h/a para infratores de trânsito e apenados por crimes de trânsito, denominado “Mudando atitudes, preservando vidas!”. Também já existem campanhas na mídia com o enfoque na mudança de cultura, assim como ações em datas como: Maio Amarelo, Semana Trânsito e dia do motociclista;

Fiscalizações

Ações realizadas para verificação principalmente de uso de álcool ao volante, pessoas não habilitadas e excesso de velocidade. São realizadas periodicamente e de forma planejada operações bloqueio e blitz da lei seca (Balada Segura) em datas e dias programados com o objetivo de coibir o uso de álcool ao volante, flagrar pessoas não habilitadas dirigindo e verificar o excesso de velocidade, através do uso de radar móvel.

Melhoria da infraestrutura viária

Intervenções fundamentadas na identificação dos principais pontos de acidentes que possam dar causa a acidentes, existe o trabalho feito pela engenharia de trânsito da CETTRANS para melhoria da sinalização viária (placas de sinalização e faixas de pedestres).

Ainda há uma jornada pela frente

A equipe de Cascavel é consciente de que mesmo com os avanços já realizados, ainda há uma grande jornada pela frente, rumo a um trânsito mais seguro. O Maj. Amarildo Ribeiro, coordenador do Cotrans/PVT comenta que: “Ainda que o município, já realize muitas ações mitigadoras para diminuição dos acidentes (palestras, blitz, ações educativas, orientação para mudanças na infraestrutura viária), é necessário continuar e ampliar esse trabalho.”

Atividade Educativa em Bares


Siminário sobre Acidente de Trânsito


Curso para apenados por Crime de Trânsito

5 visualizações

© 2019  por Amarildo Roberto Ribeiro. Criado orgulhosamente com Wix.com